Rua Fábio Couri, 190 Luxemburgo - BH/MG - CEP: 30380-560 31 3324-2474

Blog

HomeROTINA DE PLANTÃO? ENCARE BEM E SE PREVINA DE UM ERRO PROFISSIONAL

ROTINA DE PLANTÃO? ENCARE BEM E SE PREVINA DE UM ERRO PROFISSIONAL

29/08/2017 | Artigos, Direito da Saúde

A vida de médico é pular de plantão em plantão para atender a seus pacientes. O cansaço de uma rotina tão pesada aumenta a possibilidade de ocorrência de um procedimento errôneo, o que tem preocupado cada dia mais os profissionais da saúde. Em decorrência disso, muitos jovens médicos evitam a rotina de plantão visando melhor qualidade de vida.

Entretanto, para aqueles que optam por encarar esse desafio, é preciso adotar práticas e cuidados para evitar o cansaço nas longas horas de plantão e se prevenir contra eventos adversos. Acompanhe!

Cuidados que ajudam a evitar o erro profissional

Cuide do seu corpo durante o plantão

Boa alimentação e hidratação, além de roupas e calçados confortáveis, contribuem para que o cansaço não seja tão grande nas longas horas de plantão. Mas a alimentação deve ser mais leve, sem alimentos pesados, que causam sonolência devido à atividade digestiva.

Sobre a bebida, é um gosto bastante pessoal, pois há aqueles que preferem ingerir uma bebida estimulante (café, açaí, energético, etc) para despertar, enquanto outros só ficam na água, no suco ou no chá.

O importante é ter o hábito de hidratar-se bem e comer com regularidade, mesmo quando parecer que não há como fazer uma pausa para cuidar do seu corpo.

Trabalhe em equipe 

O bom atendimento ao paciente sempre será o foco de um profissional da saúde que preza pela ética e pelo respeito. Porém, após algumas horas de plantão, nosso corpo começa a “cobrar a conta” de estar na ativa há tanto tempo, principalmente nos plantões noturnos. Nessas ocasiões, pode acontecer do cansaço interferir de forma importante na atividade, o que pode ocasionar erro profissional.

Em muitos casos, o médico passa por eventuais esquecimentos, decorrentes da exaustão, e pode se esquecer de passar alguma recomendação a seu paciente ou de adotar um procedimento necessário e indispensável. Por isso, trabalhar em equipe é essencial para que o trabalho seja feito com excelência, sem irregularidades. Outro colega, enfermeiro ou técnico de enfermagem contribui para que isso não ocorra.

Verifique se terá auxílio de outros profissionais no plantão

Em decorrência da necessidade e da importância do trabalho em equipe, o profissional está mais suscetível a enganos se encarar as longas horas de plantão sozinho. Muitos hospitais, públicos e privados, devido à ausência ou à economia de recursos, coloca o médico como único responsável por todos os tipos de atendimento ao paciente.

Isso aumenta exponencialmente a chance de se cometer uma irregularidade, e não só pela exaustão causada pelos plantões, mas pela ausência de outro profissional para conseguir atender a todas as ocorrências. Por esse motivo, pense duas vezes antes de aceitar um emprego em um local em que passará a noite inteira sozinho.

Evite plantões em noites seguidas

Há alguns anos, o Projeto de Lei nº 6172/2005 tentou limitar os plantões médicos, sob a premissa de que o cansaço interferia na qualidade do atendimento. Apesar da motivação válida, o projeto foi arquivado. Na ausência de lei que o limite, o profissional deve optar por não fazer plantões em noites seguidas, pois o risco de eventos adversos aumenta bastante nessas situações.

É comum que um médico trabalhe mais de 30 horas seguidas, acumulando um plantão noturno de 12 horas com dois períodos diurnos de trabalho. Porém, uma rotina mais “saudável” considera apenas 12 horas de plantão noturno e 6 horas de ambulatório. Ao fim dessa jornada, é indispensável que haja uma pausa para descanso, uma noite bem dormida e a prática de atividades físicas.

Divirta-se fora do horário de trabalho

Em uma pesquisa publicada em 1994 pela revista da Associação Médica Brasileira, 78,9% dos médicos queixavam-se de estresse e do desgaste físico e mental decorrentes do exercício da profissão. Mais de 75% tinham até três empregos, para conseguir um padrão de vida compatível com seus anseios e sua qualificação, e quase 24% trabalhavam em quatro ou mais locais.

Todo esse esforço pode comprometer não só a vida pessoal, mas a vida dos pacientes, uma vez que o cansaço é diretamente relacionado ao erro profissional. Por isso, a opção por trabalhar um pouco menos e ter momentos de lazer deixa o profissional melhor preparado para as longas horas de plantão.

Para evitar a ocorrência de irregularidades e encarar as longas horas de plantão, o profissional deve adotar uma rotina saudável. Quer compartilhar conosco suas práticas? Deixe seu comentário!

Caso queira saber mais sobre a judicialização da medicina e da saúde, assista a nosso webinar!

Renato Assis

Renato Assis

Advogado especialista em Direito da Saúde e Terceiro Setor