Rua Fábio Couri, 190 Luxemburgo - BH/MG - CEP: 30380-560 31 3324-2474

Blog

HomeDireito da SaúdeMídia7 DICAS PARA MELHORAR A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE

7 DICAS PARA MELHORAR A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE

27/06/2016 | Direito da Saúde, Mídia

Manter uma relação médico-paciente saudável é muito importante para garantir um bom atendimento e também o sucesso do tratamento. É essencial que o paciente sinta segurança no trabalho do médico, não apenas como profissional, mas também como ser humano.

É muito comum ouvir pessoas reclamando que ficaram horas esperando no consultório médico e que na hora em que foram atendidas, a consulta durou apenas 15 minutos. Isso pode desestruturar a relação do profissional de saúde com o paciente. Por isso, listamos abaixo algumas soluções para melhorar o atendimento.

Como melhorar a relação médico-paciente

Evite atrasos

Se coloque no lugar do seu paciente. Você não gostaria de passar praticamente um turno inteiro esperando não é mesmo? Então evite atrasos. É claro que há imprevistos no dia a dia e caso isso aconteça, peça para que o paciente seja avisado com antecedência. Isso humaniza o atendimento e demonstra o respeito que você tem por ele.

7 dicas para melhorar a relação médico-paciente Evite atrasos

Seja mais humanizado no atendimento

Ultimamente tem sido bastante comum ouvir a expressão humanização em saúde. O setor público já vem trabalhando nisso há algum tempo. Neste caso, se colocar no lugar do outro é essencial para que se crie um espaço de confiança e melhore o relacionamento entre o profissional e a pessoa que está ali, tornando assim o atendimento mais humanizado.

Aqui, é interessante focar na vida do paciente e perguntar sobre o seu dia a dia: como está o trabalho, se tem novos projetos, como está a família, entre outras coisas. Saber os nomes dos familiares (pelo menos dos principais) também é uma excelente atitude para deixar o ambiente mais confortável para o paciente, melhorando a relação.

Ouça com atenção

Em primeiro lugar é preciso ouvir a queixa do paciente: quando começou a sentir dor, porque procurou o atendimento, entre outras coisas. Se perceber que ele está desviando do objetivo, basta direcionar a conversa com alguma pergunta simples. É melhor prolongar esse tempo de comunicação com o paciente e poupar na hora de prescrever a medicação, por exemplo.

Mantenha um relacionamento

É muito importante mostrar ao seu paciente que você se importa com ele e que a relação entre vocês vai além das quatro paredes do consultório médico. Mandar um cartão na data do aniversário ou uma mensagem para o celular em datas comemorativas como o Natal é uma das formas.

Outra maneira de manter esse relacionamento, e que até ajuda no tratamento, é enviar mensagens perguntando sobre o mesmo e como o paciente está se sentindo a respeito.

Tenha mais atenção na hora de marcar consultas

O momento de marcar a consulta é o primeiro contato do consultório com o paciente. E é como dizem: a primeira impressão é a que fica. Portanto treine a sua equipe para que ela consiga ser objetiva e eficiente nesse momento. Eles devem ouvir o paciente com atenção respondendo as suas dúvidas.

É preciso lembrar que quem está ali marcando uma consulta pode estar com um problema de saúde e é necessário ter empatia e saber lidar com diferentes temperamentos.

Seja claro

Um termo médico pode parecer óbvio para quem fala e não fazer o menor sentido para quem escuta. Portanto é preciso ser o mais claro possível no momento da consulta, principalmente na hora de dar o diagnóstico. O paciente não deve sair com nenhuma dúvida a respeito da patologia ou do tratamento. Minimizar ao máximo os ruídos de comunicação é extremamente necessário.

Tenha paciência

Você precisa dar total atenção ao paciente no momento da consulta. Lembre-se que ele está fragilizado pela doença. Portanto, responda a todos os questionamentos com calma. Hoje em dia é muito comum que um paciente conteste as sugestões do médico devido ao maior acesso à informação da doença pela internet. Saber ter jogo de cintura e ter em mente que você pode estar errado é muito importante nesse momento.

E então, o que achou das nossas dicas? Você tem mais ideias do que poderia ser feito para melhorar a relação médico-paciente? Conte pra gente e comente aqui!

Dados e Estatísticas sobre a Judicialização da Medicina

Renato Assis

Renato Assis

Advogado especialista em Direito da Saúde e Terceiro Setor